top of page

Nubank, Itaú, PicPay: quais bancos já participam do Desenrola Brasil?

Em vigor desde a segunda quinzena de julho, o programa Desenrola Brasil do Governo Federal tem como objetivo facilitar a negociação de dívidas entre pessoas físicas/jurídicas e empresas, incluindo instituições bancárias. A iniciativa prevê uma redução no número de inadimplentes no país.

Entre as primeiras normativas para participação no programa, que vai garantir subsídios aos bancos, está a retirada imediata de anotações de dívidas de até R$ 100 em plataformas como Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e Serasa. Embora o débito ainda não seja quitado, a medida vai garantir que negativados possam ficar com o nome limpo.

Enquanto algumas instituições financeiras e fintechs ainda estão anunciando sua adesão ao Desenrola Brasil, abaixo, confira os bancos que já foram confirmados no programa. Aproveite!



Desenrola Brasil: descubra se o seu banco integra a lista de participantes

O Banco do Brasil e a Caixa Econômica não poderiam ficar de fora da iniciativa do Governo Federal. Afinal, ambos já firmaram parcerias em outros programas similares em ocasiões anteriores.

O primeiro deles conta com mais de 74 milhões de clientes, incluindo professores concursados e servidores federais, enquanto o segundo tem atualmente cerca de 148,1 milhões de clientes espalhados pelo Brasil.

Na linha de bancos tradicionais, há ainda instituições como Bradesco, Itaú e Santander. Vale destacar que a expectativa é que, na primeira etapa do programa, quando dívidas de até R$ 100 serão descadastradas de plataformas de proteção de crédito, cerca de 2,5 milhões de pessoas sejam beneficiadas.

Ao todo, o programa deverá atingir 70 milhões de pessoas, cujas negociações para a segunda fase irão considerar negativados com renda bruta mensal de até R$ 20 mil.

Essa nova etapa deve começar a acontecer a partir do mês de setembro em débitos anotados entre janeiro de 2019 e dezembro de 2022. Cada instituição seguirá suas próprias normativas internas para avançar nas negociações.



Fintechs e plataformas digitais

É preciso mencionar as fintechs, startups de serviços financeiros, como bancos digitais, que já confirmaram sua participação nas negociações do Desenrola Brasil. O C6, o Banco Pan, o PagBank e o Inter devem trabalhar em negociações diretas nos próximos meses com todos os seus clientes negativados.

O Nubank também aderiu ao programa, conforme anunciado na última quarta-feira (19). Segundo um comunicado, a instituição irá informar posteriormente todas as condições e critérios estabelecidos de forma interna para que as negociações aconteçam no âmbito do programa.

Para participar do Desenrola Brasil, pessoas negativadas devem se atentar ao período de anotação de sua dívida, já mencionado anteriormente, e o valor máximo de sua renda bruta mensal.

A partir disso, basta entrar em contato diretamente com sua instituição financeira para chegar em um acordo que seja benéfico para ambas as partes.

Quais os canais de atendimento disponíveis?

Para cada instituição financeira participante, há canais específicos para atendimento personalizado já divulgados. Veja!

  • Banco do Brasil: em todas as agências, no aplicativo Internet Banking, plataformas digitais como o BB Renegocie e a Central de Relacionamento;

  • Bradesco: plataforma Bradesco dívidas, Canais Digitais, incluindo WhatsApp e Internet Banking, além de sua rede de agências;

  • Caixa Econômica: Plataforma Caixa Desenrola, Aplicativo Caixa Tem, WhatsApp e central de atendimento via telefone;

  • Itaú: Plataforma Renegociação Itaú e WhatsApp;

  • Santander: Plataforma Santander Renegociação, WhatsApp e central de atendimento via telefone;

  • C6 Bank: aplicativo e canais de atendimento oficiais;

  • Inter: aplicativo, canais de atendimento oficiais e Portal Inter Negocie.

Quais dívidas não podem ser negociadas no Desenrola Brasil?

Para negociar sua dívida com os bancos por meio do programa do Governo Federal, é também importante ficar atento a algumas regras estabelecidas previamente. Há uma lista de dívidas, por exemplo, que não se encaixa na Fase 2 do Desenrola Brasil. Confira abaixo!

  • dívidas de crédito rural;

  • débitos com garantia da União ou de entidade pública;

  • dívidas que não tenham o risco de crédito integralmente assumido pelos agentes financeiros;

  • dívidas com qualquer tipo de previsão de aporte de recursos públicos;

  • débitos com qualquer equalização de taxa de juros por parte da União.

Apesar disso, com o Desenrola Brasil, é possível conseguir descontos para quitação imediata, seja à vista ou parcelado. Inclusive, nesse último caso, quando a primeira parcela for paga, a instituição em questão tem um prazo máximo de até 5 dias para retirar o nome da pessoa negativada das plataformas de proteção de crédito.



​Fontes: TecMundo e Governo Federal



Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page